Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

 O Botafogo chegou à cidade de Aparecida de Goiania para enfrentar a Aparecidense nessa terça feira como se fosse o rei da cocada preta. Mal sabia o Time da

estrela solitária que o Camaleão tinha um veterano chamado Nonato que balança as redes com a facilidade de Messi no drible, e que esse parrudo já foi artilheiro

da Copa do Brasil em 2003 jogando pelo Bahia.

 Depois do jogo o time carioca já de crista baixa pecebeu a bobagem que fez eu menosprezar o time do Cocá. Agora a Aparecidence classificada pela vitoria

por 2x1 vai enfrentar o Cuiabá na próxima fase.

 Gustavo Mendanha prefeito de Aparecida não cabia dentro de seu corpanzil de tanta alegria. Seus olhos verdes, assim como um vitrô em rancho, mudou de cor

varias vezes parece que não acreditando no que via.

Essa "zebra" serve de alerta para muitos times inclusive para os nossos da capital que enfrentam times se expressão nas fases iniciais da CB. Foi muito bom.

Porque os times goianos tem levado cada vez menos públicos em seus jogos? Essa pergunta você ouve nos bares, padarias, hoteis, velórios, casamento, rádios, tvs e em todos os lugares. Mas ninguém sabe a resposta.

Claro que se fosse algo simples todos saberiam o motivo. Mas acontece que as razões são diversas e fica dificil resolver o problema.

E nossa gente não vai apenas aos jogos no campeonato estadual. No Brasileirão os times jogam diante de público tão pequeno que eu prefiro dizer que nessas partidas temos apenas testemunhas, e não torcida.

A violência tem sido um dos fatores que contribuem para afugentar as pessoas dos estádios. Penso até que é o principal. Mas levemos em consideração também a baixa qualidade técnica e a televisão transmitindo para a mesma práça. Lembremos também que o mundo mudou. As pessoas tem uma grande diversidade em opções de lazer. E agora, o que estamos vendo, são os estádios completamente vazios.

Tivemos até agora no Goianão três jogos em que as pessoas chamam de clássicos. Somando os publicos destas partidas, não temos nem 17 mil pagantes. Uma vergonha. Goiás e Vila Nova levaram em dois jogos menos de treze mil torcedores. Vila e Atlético menos de quatro mil almas. Triste.

O que fazer para levar gente nos jogos? Não sei. E você, leitor, sabe?

Se resolvesse a questão da violência, seria um começo. Mas não. Nossa cambada de políticos que poderiam elaborar leis mais rígidas contra os irracionais violentos, estão mais preocupados com seus vidões que levam as nossas custas.

Se melhorasse a qualidade das equipes, televisão sem transmissão para a praça e etc.. O torcedor voltaria? Difícil dizer.

Hoje os cantores sertanejos universitários levam multidão aos seus "shows". Os shoppings estão abarrotados de pessoas e ninguem está nem ai pra futebol. Vamos fazer figa para que Pabllo Vittar não venha ladrar aqui.

A crise no futebol é tão grande que está afetando até quem transmite esse esporte. As empresas estão enxugando seus quadros de funcionários ao limite extremo já que os patrocinadores também sumiram. Preferem investir na "Besta do Apocalipse" chamado Google do que em rádio, TV ou jornal.

A crise nos veículos de comunicação não é só em Goiás, mas no Brasil inteiro. Quantas esquipes esportivas de São Paulo e Rio de Janeiro simplesmente desapareceram do mapa nos últimos anos? Várias.

Existem muitos nomes consagrados da crônica esportiva no Brasil desempregados há muito tempo, simplesmente porque os veículos não conseguem mantê-los em seus quadros.

Com tudo isso quero dizer o seguinte: A crise no futebol atinge a todos. Clubes, veículos de comunicação, profissionais de imprensa e dirigentes. Todos estão na mesma aeronave. Se ela se espatifar, todos morrem. Vamos rezar ou trabalhar juntos para melhorar isso? Não ficarei na praça dando milho aos pombos.

    Vai começar o Goianão 2018 e espero que esse seja o melhor dos ultimos anos, apesar das dificuldades financeiras dos times. A chegada do Vila Nova na final do ano passado, deu aos Colorados a crença de que é possível buscar o caneco nesse ano. O Atletico entende que precisa retomar seu lugar na competição e o Goias é sempre candidato a mais um título.

  Quanto ao interior a situação é preocupante porque os times vivem numa penúria financeira de dar dó e nem poderia ser diferente pois sem calandário, o jeito é montar times de verão e com muitos veteranos andarilhos que não querem outra coisa a não ser o salário, sem dar a contra partida com dedicação e bom exemplo.

 Adib Elias em Catalão não conseguiu evitar a queda do CRAC em 2017. A morte do Ze Gomes da Rocha em Itumbiara foi terrivel para o time da cidade pois ele bem ou mal sempre colocou o Gigante como uma das forças do interior. Goianésia vai amargar a Divisão de Acesso. Os times de Anápolis de pires nas mãos. O Rio Verde por conta de briga politica entre prefeito e os "Cruvinéis" por pouco não tem que disputar seus jogos em Jataí pois o seu estádio estava caindo aos pedaços. Passaram um "batom" no Mozart Velosos e felizmente o torcedor local vai ver seu time em casa. O Iporá tem um orçamento baixo e se dará por satisfeito se não cair para a Segundona apesar do "Apolo" Elias com a camisa 10. A Aparecidense do sempre falante João Rodrigues,o Cocá, pode salvar o interior.

 Mesmo assim eu acredito muito no nosso campeonato exatamente por conta da rivalidade entre os time da Capital. Marcelo Almeida vai querer inaugurar sua gestão com o Tetra. Adson Batista quer mostrar no Dragão que ele é o cara. O Ecival Martina no Vila quer mostrar que o Vila não foi uma ilusão no ano passado e quer buscar o título. Que comece o espatáculo!

 O ano de 2017  não foi dos melhores para o futebol goiano pois amargamos uma queda com o Atletico, o Vila Nova ficou no quase acesso para a Serie A e o primo rico Goias quase aluga um lugar na Serie C e se salvou por um fio, ou um ponto como queiram.

 

  Os erros foram muitos e já foram exaustivamente apontados e analisados mas são passado. Devemos focar no futuro e eventualmente olhar para tras como um alerta quanto ao que não deve ser feito.

 O Goias estará na ponta da lança em 2018 e è no sentido de risco gigante pois ou sobe para a Serie A  e mantem a boa vida de ricaço ou vai retroceder para o inicio da década de 80 quando latia no quintal pra economizar cachorro.

 

No Atletico o Adson Batista jura pelo Antonio Accioly que o Dragão será diferente ano que vem. Esse ano foi ruim demais para a turma da naftalina.

O Vila Nova precisa abandonar de vez o complexo de vira latas e acreditar que é possível subir para a principal divisão do futebol brasileiro e para isso terá que se organizar financeiramente. Nesse ano ficou na faixa de classificação por 21 rodadas e o faquir presidente Ecival Martins sabe que faltou o vil metal na reta final do brasileiro B.

 Vamos nos unir em torno de nossos times em 2018 para que todos alcancem seus objetivos e nossas torcidas fiquem satisfeitas.

  No inicio de 2015 escreví aqui nesse espaço que o Vila Nova deveria deixar de lado o complexo de vira lata e disputasse a Serie B não apenas com o objetivo de se perpetuar na segunda divisão mas com o objetivo claro de subir e participar da elite do futebol nacional já que muitos times que conseguiram isso não dispôe do grande patrimonio que tem o Colorado, uma imensa torcida.

 Parece que o time do Setor Universitário entendeu isso e no ano passado por incrivel que pareça deixou de ser saco de pancadas e ganhou muitos jogos fora de casa tendo como tecnico Guilhereme Alves e não correu risco de queda.

 Aquela campanha abriria a porta para o campeonato desse ano pois mostrou que o bicho nâo era tão feio como se apresentava e o Vila acreditou que poderia subir. Montou um time que se não é lá essas coisas tecnicamente , teve a seu favor um grupo de jogadores honrados que vestiram a camisa colorada com respeito e dedicação e seu torcedor mais lúcido se viu representado por um time de guerreiros que ficou mais de vinte rodadas no G 4 e não conseguiu o acesso por falta de perna na reta final da Segundona. Ademais, faltou ao Tigre a grana para reforçar o ataque para fazer os gols tão raros nos atuais atacantes do Tigre.

 O Vila Nova tem que se orgulhar da campanha que fez nesse ano pois o time tem uma das menores folhas de pagamento dessa competição e fez um papel bonito. Claro, há frustração pois o torcedor vislumbrou a terra que mana leite e mel da Serie A, chegou bem perto disso. Não deu desta vez.

 A diretoria não pode se desesperar e destruir a grande parte dessa ponte que foi construida nesse ano. É mais facil completar a obra em 2018 do que começar do zero. O Presidente Ecival Martins mostrou para os ricaços Vilanovenses que é possivel fazer um time competitivo sem muito dinheiro e convenhamos, faltou ao presidente a união de forças nesse campeonato pois não se reforçou no setor de ataque porque faltou dinheiro e os endinheirados preferiram ficar de longe em vez de ajudar financeiramente.

 Espero que o Tigrao continue com a maioria desses profissionais que esteve nessa temporada, incluindo o otimo tecnico Emerson Maria. Perder alguns jogadores é natural até pela campanha do time mas que mantenha a base para o ano que vem e que acima de tudo que o Vila Nova entenda que a caminhada para a Serie A é perfeitamente possivel e que basta ter sempre confiança, time aguerrido,um pouco mais de dinheiro e união porque o principal ele tem, a torcida. A luta continua.

 Ufa! O Goias está fora da zona de rebaixamento no Brasilero B. A vitoria magra diante do lanterna ABC na ultima sexta feira e a derrota do Luverdense em casa para o Ceará deram ao Goias a condição de respirar fora da Geena ardente do Z 4. O time Verde joga na sexta feira contra o inconstante Nautico no Serra Dourada na proxima sexta feira no pornagráfico horario de 21:30, horario em que muitos maridos vão dizer para suas santas esposas que vão demonstrar seu forte amor pelo Verdão mas vão passar direto e devem parar no Real Privê ou na bela estancia MM da respeitavel senhora Maria Machadão e liberar suas energias nas sucessoras das Gatas do Sargentelli.

  Helio dos Anjos disse na 730 que o Goias vai sangrar pelas proximas 8 rodadas pra respirar sem aparelho. O time esmeraldino na minha projeção, precisa de mais 12 pontos para não ser membro da Serie C e isso implica dizer que com mais quatro vitorias  o time se mantem na Segundona.

 Presidente Marcelo Almeida precisa iniciar o planejamento de 2018 porque é claro que o Goias não vai cair. Assim, se se começar agora a rabiscar o mapa para o ano que vem, o Goias pode sai na frente e pode fazer do proximo ano, o ano da retomada do crescimento do Maior do Centro Oeste. Amem?

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757