Acontece neste domingo (4) a grande final da NFL, a liga profissional de futebol americano nos Estados Unidos. O Super Bowl 2018 será disputado por New England Patriots, que vão em busca do sexto título, e o Philadelphia Eagles, que buscam o título inédito. A 52º edição será disputada no US Bank Stadium, em Minneapolis, a partir de 21h30 (horário de Brasília) e contará com o show de Justin Timberlake, que fará sua terceira apresentação no evento, se tornando o artista solo com mais shows no Super Bowl.

super bowl patriots eagles nfl

Se há alguns anos você falasse de Super Bowl aqui no Brasil, seria difícil encontrar alguém que soubesse o que é o evento e o que ele representa para os americanos, principalmente. Hoje em dia, o esporte se popularizou e é possível encontrar até torcedores fanáticos aqui no nosso país. Mas como isso aconteceu? Porque o SuperBowl mexe tanto com os brasileiros? Fomos atrás de pessoas que “adotaram” o futebol americano como esporte favorito e que irão fazer deste domingo (4) uma final de Copa do Mundo.

Como você conheceu e passou a gostar de NFL?

victor torcedor eagles 2- Isso é bem curioso, em 2005 fui à feira comprar jogos para Playstation e sem querer comprei o jogo NFL Street. Digo sem querer porque na verdade eu queria era o FIFA Street, famoso game na época. Mas já que comprei, coloquei para jogar. No começo não entendia nada, mas com dois dias eu já entendia pelo menos a sistemática do esporte. Acabei gostando muito do jogo, e logo em seguida comprei o meu primeiro Madden, jogo oficial da NFL, e assim começou um vício que dura até os dias de hoje. - Victor Resende, 25 anos, contabilista e torcedor dos Eagles.

pai e filha patriots 22- Eu comecei a gostar do futebol americano venço meu pai acompanhar os jogos, aí ele passou a me ensinar as regras e eu vi que é um esporte fascinante, que em dois minutos tudo pode mudar. Tem mais ou menos quatro anos que comecei a acompanhar e todo ano é uma festa, como se fosse a final da Copa do Mundo. – Ariane do Prado, 25 anos, estudante de direito, agente bancária e torcedora dos Patriots.

torcedor patriots 2- Minha paixão pelo futebol americano começou em 2012, no Super Bowl entre o New York Giantes e o New England Patriots. Foi quando assistir meu primeiro Super Bowl por completo, e de lá para cá passei a assistir todas as temporadas, todos os jogos, gravo todas as partidas e eu tenho uma admiração por todas as equipes. A liga traz jogos excepcionais, com emoção até no último minuto e isso que me fez apaixonar pela NFL. E essa minha empolgação acabou contagiando minha filha, meu filho, minha sobrinha, meus amigos e todo ano no SuperBowl pra gente é uma grande festa. – Luís César do Prado, 49 anos, bancário, pai da Ariane e torcedor dos Patriots.

Mas, se há alguns anos o esporte era pouco popular no Brasil, porque de uns anos para cá a NFL se tornou uma paixão e contagiou grande parte da população brasileira? A mídia e o investimento na final, que acabou se tornando um espetáculo, acabam sendo o diferencial e o que atrai os olhares brasileiros.

- Primeiramente a maior exposição que a mídia tem dado ao futebol americano nos últimos anos, sobretudo o pessoal da ESPN. O esporte por si só é apaixonante, muita emoção do início ao fim, e acredito que o que faltava era levar isso a uma camada maior do público. Em segundo plano, a própria NFL tem feito uma série de ações para globalizar o futebol americano e isso tem atingido, mesmo que em menor efeito, o Brasil. Esse ano mesmo teremos em junho no Rio de Janeiro o NFL Experience, evento onde as pessoas interagem com o esporte através de diversas atividades em um ambiente semelhante a um parque temático. E existe a possibilidade de em até 2020 realizarem um jogo da temporada regular aqui no Brasil. – Victor Resende

- A mídia é um fator muito importante. Acho que influencia muito e torar o futebol americano conhecido, sem falar que hoje temos a exclusividade de transmissão dos canais ESPN e os comentaristas, narradores são bem populares e “caíram na graça” dos torcedores, interagem muito com o público. Além do que os shows no intervalo sempre têm um grande astro da música e isso fez do Super Bowl um espetáculo mesmo. As pessoas também começaram a praticar o esporte aqui no Brasil e acredito que isso ajudou também. – Luís César.

O alto investimento, a espetacularização do evento acabam dando ao brasileiro um padrão de competição que não é visto aqui no país. Por isso e por buscar emoção, Luís César passou a acompanhar mais o futebol americano, deixando o nosso futebol um pouco de “lado”.

- Eu estou meio frustrado com o futebol. A gente vê que ele está decadente, falta emoção, seriedade. Os campeonatos aqui no Brasil geralmente conhecem seu campeão com cinco ou seis rodadas de antecedência, sem emoção nenhuma. Tanto é que quando vou assistir futebol, assisto a Champions League pela emoção.

O comportamento é compartilhado por Victor.

- Bom, confesso que deixei um pouco de lado sim. Sobretudo devido a má fase que se encontra o futebol aqui no Brasil, onde cada vez mais cai o nível técnico das partidas, e cresce a insegurança de ir aos estádios. Isso somado a outros fatores tem levado não só eu mas também outras pessoas a buscarem conhecer outros esportes e, convenhamos, o futebol americano é um ‘prato cheio’.

­Se o Super Bowl e a NFL em si atrai tantos telespectadores assim, você se reúne com amigos ou familiares para assistir os jogos? E a final de hoje, onde vai torcer.

torcedores eagles futebol americano super bowl 2- Sim, principal em jogos do Philadelphia Eagles. Às vezes fica um pouco difícil em jogos que iniciam a noite e nos de meio de semana, mas sempre encontramos um jeito de nos reunirmos para assistirmos juntos. Infelizmente Goiânia não há muita opção de lugares que transmitam a NFL, então quase sempre reunimos nas casas uns dos outros. Hoje vou assistir Na casa de um amigo do Madkings, minha equipe de futebol americano aqui em Goiânia. Ele está organizando um evento legal lá, com direito até a telão e open bar de cerveja. –Victor

Na família Prado o cenário é semelhante.

- Geralmente a gente se reúne quando começam os play-offs (mata-mata), mas em jogo dos Patriots nos reunimos porque é um acontecimento e esse ano teremos mais pessoas do que no ano passado para assistir a final. Hoje vamos assistir aqui em casa, vamos colocar o telão porque aqui em casa é o “berço” da NFL, porque tudo começou com meu pai. – Ariane

familia torcedores patriots nfl editado

O assunto agora é especificamente a final desta noite. Como torcedores dos Patriots, qual é o jogador que vai ganhar o MVP (jogador mais valioso) e trazer o sexto título de NFL para o time?

- Sem dúvida o jogador que depositamos esperança, que sempre faz a diferença em finais e que tem um preparo físico sem igual é o Tom Bady. Ele já ganhou cinco decisões, cinco MVP e creio que esse ano ele vai ganhar de novo porque quando a coisa aperta é ele que faz a diferença. – Ariane

- Ele tem 40 anos e vai para mais uma final.  É um cara que inspira, que começou lá “em baixo” e hoje é o que é e está sempre atrás da vitória. Pra mim ele é um exemplo de superação, exemplo de ser humano e um profissional sempre dedicado.  Luís César.

O adversário dos Patriost são os Eagles, que já chegar à final duas vezes mas ainda não conquistaram nenhum título. A sua esperança, como torcedor dos Eagles, está em quem?

- Vejamos, a equipe de Philadelphia perdeu o seu quarterback titular Carson Wentz devido a uma lesão na semana 14, ele vinha sendo o diferencial da equipe até aqui, sendo inclusive apontado a potencial candidato a MVP. Após isso, a equipe teve de se reorganizar para superar essa enorme perca, e de lá pra cá o coletivo da equipe passou a ser o ponto forte. Eu diria que o futebol americano se decide nas trincheiras, e Philadelphia tem uma das melhores linhas ofensivas e defensivas de toda NFL. Com isso, acredito que esse será o grande destaque da partida de hoje. Se tivesse de apostar em alguém, apostaria em Fletcher Cox, Defensive Tackle da equipe nº 1 da Liga em pressão ao quarterback adversário. – Victor.