Foto: Douglas Monteiro/VNFC
35794620114 51ea045824 z
Ônibus que estragou na ida para Anápolis, chegada atrasada no Estádio e sem tempo para o aquecimento, essas foram as adversidades encontradas pelo Vila Nova antes do jogo contra a Anapolina nesta quarta-feira (24). Apesar de tudo, o técnico Hemerson Maria ressalta que esses problemas não podem ser usados como desculpa para o empate sem gols diante da Rubra pela terceira rodada do estadual. Ele acredita que o Tigre jogou bem, mas falhou na hora de atacar.

“Taticamente a equipe se comportou bem, as principais jogadas de ataque da Anapolina foi em bolas paradas e jogadas de individuais com os jogadores leves que ela tem na frente. Nós tivemos também oportunidades com o Ramon, que o Calaça fez grande defesa e com o Keké que chutou errado. Eu penso que precisamos ter um pouco mais de atenção para não cometer alguns erros, principalmente de perda de bola no nosso campo defensivo e reter um pouco mais a bola na frente. Não foi uma atuação consistente no sistema ofensivo”, destaca.

Após três partidas, o Vila Nova é o líder do Grupo B com cinco pontos. São dois empates e uma vitória (1x0 sobre o Goiás). Apesar da curta pré-temporada e da sequência de jogos apertadas por conta da redução do calendário, o comandante colorada acredita que o desempenho está dentro do que foi planejado pela comissão técnica e diretoria do clube

“Está dentro do esperado. Aquilo que foi falado está sendo feito, colocando os meninos da base para jogar, hoje foi a vez do Philippe, que é um menino que tem uma presença de área fantástica, entrou bem e quase fez o gol ali no segundo tempo; o Batata que jogou a primeira partida; o Dudu está no terceiro jogo consecutivo como titular; Estamos formando um espírito guerreiro, um espírito que o torcedor do Vila Nova gosta. Não é uma equipe brilhante tecnicamente, mas é um equipe muito bem disciplinada, de homens que procuram correr e se dedicar”, diz Hemerson.

E Campeonato Goiano não é moleza. Na próxima rodada o Vila tem pela frente mais um clássico, desta vez contra o Atlético. Ao contrário do Tigre, o rubro-negro vem sofrendo com as más atuações e ainda não venceu na competição, o que para Hermeson Maria deixa a partida ainda mais complicada.

“É um jogo difícil. O clássico tem a questão emocional e se iguala. O João Paulo (Sanches) é um profissional muito capacitado, o Atlético tem jogadores de qualidade e vai encontrar seu caminho, só espero que não seja no jogo de sábado. A expectativa é de um jogo difícil, onde teremos que estar atentos, estudar a analisar a equipe deles e fazer nosso melhor jogo”, afirma o treinador.