guterresonu1

Conselho de Segurança da ONU (Foto: Eskinder Debebe/ ONU)

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse esta segunda-feira ao Conselho de Segurança que a resolução do órgão pedindo um cessar-fogo na Síria não tem sido cumprida.

A decisão, aprovada a 24 de fevereiro, por unanimidade, decretava “uma pausa humanitária de pelo menos 30 dias consecutivos em toda a Síria, para permitir a entrega de ajuda humanitária de forma segura, desimpedida, sustentável, e a retirada dos feridos e doentes graves. ”

Falhas

No seu discurso, António Guterres referiu todas as formas em como a resolução não está a ser respeitada.

Segundo ele, “não houve cessar das hostilidades” e a entrega de ajuda humanitária não tem acontecido “de forma segura, desimpedida e sustentável. ”

O chefe da ONU disse também que não foi levantado o cerco em zonas habitadas, como Ghouta Oriental, e que “nenhum doente ou ferido grave foi evacuado” até ao momento.

Orientação

Guterres falou também sobre as negociações que estão a decorrer. O secretário-geral detalhou vários encontros e correspondência entre as partes envolvidas no conflito, incluindo o Governo Sírio, fações rebeldes, a ONU e a Rússia.

O chefe da ONU afirmou que ele e o seu enviado especial para o país, Staffan de Mistura, se mantiveram “informados de cada passo, oferecendo apoio e orientação para garantir a implementação da resolução. ”

Ajuda humanitária

António Guterres disse que a ONU e os seus parceiros estão prontos para entregar ajuda humanitária, mas os objetivos não têm sido cumpridos devido à violência.

O secretário-geral detalhou o que foi feito nas últimas duas semanas. Em Afrin e Tell Refaat, a norte de Alepo, a ajuda chegou a 50 mil pessoas. Em Dar Al-Kabira, foram alcançadas 33,5 mil pessoas, mas “o governo sírio não permitiu a entrega de medicamentos essenciais como a insulina. ”

Em Ghouta Oriental, a ajuda chegou a 27,5 mil pessoas, um terço do objetivo. Além disso, explicou Guterres, “a maioria do material médico foi removida pelas autoridades sírias. ”

Guterres afirmou que “a violência tornou esta operação extremamente perigosa, apesar das garantias dadas. ” Numa das ocasiões, o pessoal teve de regressar a Damasco por causa de bombardeamentos.

Esperança

O secretário-geral elogiou ainda “os valentes trabalhadores humanitários que arriscam as suas vidas para entregar ajuda e proteção às pessoas que precisam.”

Segundo ele, “com todas estas dificuldades, a situação humanitária e de direitos humanos tornam-se mais desesperantes a cada dia.”

Guterres referiu-se também ao alegado uso de armas químicas.

O chefe da ONU disse que “há novas alegações perturbadoras de uso de gás de cloro” e que “mesmo que isso não seja possível de verificar, não pode ser ignorado. ”

No fim do discurso, Guterres disse acreditar que “apesar das dificuldades, falta de confiança, desconfianças mútuas ainda é possível implementar a resolução 2401. ”

Da ONU News

logo-sagres

Rua Monsenhor Celso, Quadra Área, Lote 2, s/n - Vila Santa, Aparecida de Goiânia - GO, 74912-590
Telefone: (62) 3216.0730

© Copyright 2006-2018 Sistema Sagres Cerrado de Comunicação