Sagres A Caminho da Copa

Foto: Rede Pró-Aprendiz/Divulgação
jovens
Além de encaminhar o jovem para o mercado de trabalho, a Rede-Pró Aprendiz também se preocupa com a questão social. A instituição possui o intuito de cuidar do aprendiz e da família por meio do apoio psicossocial.

A coordenadora do NASCE (Núcleo de Acompanhamento, Seleção e Encaminhamento do Jovem), Jéssica Mendes de Araújo Lopes, concedeu entrevista no Momento Pró-Aprendiz desta quarta-feira (31), e explica como o jovem receberá este atendimento. e a assistente social do AME (Atendimento Multidimencional Especializado), Juliana Nahid Jermach Miguel.

“O NASCE faz toda a parte de seleção e encaminhamento do jovem, através da inscrição no site, que é o portal de entrada dos jovens, a gente encaminha, faz as seleções tanto na Rede Pró-Aprendiz como na empresa. Depois que o jovem entra no programa de aprendizagem, o acompanhamento continua. Ao longo do contrato a gente faz esse encaminhamento e feedback profissional ou psicossocial, mais voltado para a área profissional. No AME, o atendimento é mais voltado para a área psicossocial, em que o jovem está envolvido com a família, na escola, algo mais pessoal”, esclarece.

A assistente social do AME (Atendimento Multidimencional Especializado), Juliana Nahid Jermach Miguel, também em entrevista nos estúdios da 730, assegura que a ação recebeu nova estruturação com mais profissionais para atendimento aos jovens aprendizes.

“Hoje o AME está com novos reforços. São mais assistentes sociais, mais psicólogos, justamente para atender a toda a demanda. Com essa nova estruturação, estamos fazendo um trabalho preventivo, pois antes estávamos esperando essas demandas, encaminhados pelo educacional ou pelas empresas, instrutores, buscando estas demandas e, a partir delas, fazer um trabalho de intervenção, planejado e sistemático”, acrescenta.

Ouça a entrevista na íntegra