Sagres A Caminho da Copa

Foto: Jerônimo Junio/Portal 730
protestott
Foram liberados na manhã desta quarta-feira (15) os acessos de caminhões-tanque a três distribuidoras de Goiânia e Senador Canedo. Os protestos contra a alta dos combustíveis na Capital já duravam mais de 48 horas e dezenas de municípios goianos já apresentavam escassez ou comprometimento do abastecimento nas bombas dos postos.

A informação foi confirmada pelo vice-presidente do Sindicato dos Empregados em Transporte de Combustíveis, Derivados de Petróleo, Materiais Inflamáveis e Perigosos no Estado de Goiás (Sinditanques), Lucas Alves Ferreira, e pelo vice-presidente da Cooperativa de Motoristas Particulares de Goiás (Coompago), Rodrigo Fernando de Jesus.

De acordo com Lucas Alves Ferreira, a decisão foi tomada após reunião de representantes dos protestos com um oficial de Justiça e com o comando da Polícia Militar de Senador Canedo.

Ainda segundo o vice-presidente, foram liberados os acessos ao pool da Petrobras Distribuidora e da Alcoolbras. Apenas esta última funciona neste feriado de quarta-feira. Os caminhões que estavam carregados já podem circular e encaminhar o abastecimento e os que estavam estacionados do lado de fora, podem entrar para encher os tanques.

Na tarde desta terça-feira (14), o juiz Péricles Di Montezuma, da 7ª Vara Cível de Goiânia, determinou a liberação do acesso de caminhões-tanque às distribuidoras, sob pena de multa de R$ 5 mil aos responsáveis pelo bloqueio em caso de descumprimento, além de pedir a intervenção de força policial, caso fosse necessário.

Só nos dois dias de protestos, mais de 25 milhões de litros de combustíveis deixaram de chegar às bombas. As distribuidoras desobstruídas foram a Alcoolbras e a Petroball, ambas em Senador Canedo, e a Petrobras Novo Mundo, na região leste de Goiânia.

Atualizada às 11h16 para acréscimo de informações