Foto: Reprodução/ Internet
assembleia13
A mesa diretora da Assembleia Legislativa decidiu arquivar o pedido de sindicância que buscava realizar apuração e abertura de processo no Conselho de Ética da Casa contra deputado, oficialmente não identificado, que registrou a presença de Gustavo Sebba (PSDB) em reunião da Comissão Mista no dia 14 deste mês. A maior suspeita sobre a fraude recai sobre o deputado Jean Carlo (PHS), que registrou a própria presença no mesmo terminal, sete segundos antes do falso registro.

Gustavo Sebba afirmou à Rádio 730 que não passou a senha pessoal para ninguém, enquanto que Jean Carlo nega ter cometido qualquer crime. O presidente da Assembleia Legislativa, José Vitti (PSDB), detalha o relatório apresentado e explica porque a investigação foi arquivada.

O presidente da Assembleia ainda destaca as ações que serão tomadas a partir de agora para evitar a possibilidade de novas fraudes.

Não existe na sala da Comissão Mista uma câmera que grave as reuniões em ângulo panorâmico e, por isso, não foi possível identificar oficialmente quem usou o terminal para cometer a fraude. Diante do relatório apresentado pela mesa diretora da Assembleia, o presidente do Conselho de Ética, Humberto Aidar (PT), prefere não tomar atitudes sem antes verificar as imagens da reunião. Uma reunião do Conselho foi agendada para a tarde de hoje.

Em votação ontem no plenário, o presidente alertou Gustavo Sebba de que faltava apenas o voto dele para encerrar. Os colegas não perdoaram: “Vai votar pessoalmente?” ou “Perdeu o costume?”, perguntaram José Nelto e Henrique Arantes.

Do repórter Rubens Salomão