Sagres A Caminho da Copa

Foto: Reprodução/ Internet
gcmgoiania
Não teve boa repercussão a determinação do prefeito, Iris Rezende (PMDB), para que todo o efetivo da Guarda Civil Metropolitana fosse retirado do trabalho ostensivo e preventivo nas ruas de Goiânia e descolado para unidades de educação e saúde da Capital. A afirmação do prefeito foi feita há quase 10 dias e, de lá para cá, tem perdido força mesmo entre os auxiliares próximos ao peemedebista.

Comerciantes, principalmente da região da Rua 44, condenaram a possibilidade e divulgaram notas públicas de repúdio à decisão. Além deles, vereadores ligados à área da Segurança Pública também ameaçam reação política contra a possível retirada da Guarda das ruas. O vereador Romário Policarpo (PTC), que é Guarda Civil, foi o primeiro a reagir contra a decisão e avaliou o tema em entrevista à Rádio 730. Confira:

Outro vereador ligado à Segurança Pública, o delegado Eduardo Prado (PV), também explica porque é contra a medida anunciada por Iris Rezende.

Depois da repercussão negativa, a própria prefeitura tem dado sinais de que a retirada dos guardas civis metropolitanos das ruas de Goiânia não será executada. 

Do repórter Rubens Salomão