Canteiro de obras do BRT na Avenida Quarta Radial, no Setor Pedro Ludovico (Foto: Johann Germano)
brt
Durante a assinatura de contrato de repasse de R$380 milhões de investimentos em obras de saneamento para Anápolis e Aparecida de Goiânia, nesta tarde (29), no Palácio Pedro Ludovico Teixeira em Goiânia, o ministro das Cidades, o goiano Alexandre Baldy comentou a situação do BRT Norte-Sul na capital goiana.

Baldy afirma que está lutando para destravar as obras, paradas desde julho deste ano, após suspensão do repasse de R$ 10 milhões por parte da Caixa Econômica Federal (CEF) ao consórcio formado pelas empresas WGV e EPC.

À época, a Controladoria Geral da União (CGU) e o Tribunal de Contas da União (TCU) apontaram que os itens e materiais que seriam utilizados nos trabalhos da estrutura estariam acima e abaixo do preço de mercado.

Paradas, as obras do BRT acumulam lixo, entulho, atrapalham o trânsito e custam aos cofres públicos cerca de R$ 1 milhão por mês.

Alexandre Baldy discursa no Palácio Pedro Ludovico Teixeira (Foto: Giuliane Alves)
maldy