debate0301

(Foto: Portal 730)

Os deputados estaduais Adriana Accorsi (PT) e Santana Gomes (PSL) participaram na manhã desta quarta-feira (03) de um debate na Rádio 730 sobre a crise prisional que assola o estado de Goiás.

Na segunda-feira (01), nove presos morreram e outros 14 ficaram feridos após uma rebelião no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. De acordo com a Superintendência Executiva de Administração Penitenciária (Seap), o motim foi deflagrado depois que presos da ala C do Complexo invadiram as alas A B e D e entraram em confronto. No total, 242 detentos fugiram, mas 143 já foram recapturados.

A questão da crise penitenciária se tornou ainda mais grave na terça-feira (02), após as mortes dos agentes penitenciários Eduardo Barbosa dos Santos e Ednaldo Monteiro. Ambos foram assassinados em Anápolis. Os crimes estão sendo investigados pela Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO).

Tendo em vista a situação crítica, Adriana Accorsi e Santana Gomes concordaram que o poder público não pode ser omisso diante dos fatos. No entanto, os parlamentares discordaram quanto à responsabilidade do governo estadual na crise.

Para Santana, a implantação de melhorias no sistema carcerário depende prioritariamente do envio de recursos federais. Ele defende ainda a criação de um ministério específico para a Segurança Pública.

Ainda de acordo com o deputado, a falta de investimentos na área de Segurança Pública é uma “doença generalizada” que afeta o país inteiro.

Já Adriana Accorsi defende a realização de concurso público para suprir o déficit de agentes prisionais e afirma que o governo de Goiás não pode se eximir de suas obrigações.

Em resposta à deputada, Santana Gomes disse que o Estado pretende realizar um novo concurso em breve.

Para Adriana, além da convocação de profissionais concursados o governo precisa terminar as unidades prisionais que estão em fase de construção. Segundo ela, os presídios goianos parecem verdadeiros “puxadinhos”.

Accorsi argumenta ainda que os municípios podem sim ajudar o Estado a promover melhorias na área de Segurança Pública, principalmente no que diz respeito a ações preventivas.

Acompanhe o debate na íntegra: