Andrey Azeredo (Foto: Rubens Salomão/Portal 730)
andreyazeredo
O primeiro dia de trabalho da Câmara Municipal de Goiânia em 2018 foi quente. Nesta quinta-feira (1º), os vereadores Elias Vaz (PSB) e Jorge Kajuru (PRP) apresentaram um pedido de afastamento do presidente Andrey Azeredo (MDB) do cargo.

Os parlamentares argumentam que a presidência não agiu para que a Procuradoria da Casa fizesse a defesa oral da lei 10.105 durante votação de liminar pela corte do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), que pedia a nulidade da matéria aprovada. A Prefeitura de Goiânia venceu a disputa.

Para o vereador Elias Vaz, Azeredo não tem mais condições de seguir no cargo.

Os vereadores também pediram a anulação do julgamento por ele ter sido presidido pelo desembargador Gilberto Marques Filho, que é pai do presidente da Agência Municipal de Meio Ambiente (AMMA), Gilberto Marques Neto.

Em defesa, o presidente Andrey Azeredo sustenta que o pedido dos parlamentares não tem respaldo jurídico.

Andrey Azeredo ainda aponta que tem sido alvo de constantes tentativas de tirá-lo da presidência por parte dos mesmos vereadores.

Em resposta à defesa do presidente Andrey Azeredo, de que os propositores estão agindo de maneira eleitoreira, o vereador Jorge Kajuru destacou que não necessita usar o parlamentar do MDB para se promover.

Na sequência do pedido de afastamento do presidente Andrey Azeredo, a mesa diretora vai sortear três vereadores para comporem a comissão processante. Neste caso, os vereadores propositores Jorge Kajuru e Elias Vaz não poderão participar do sorteio.

Do repórter Gerliézer Paulo