Foto: Reprodução
pmvideo
O delegado titular do Grupo de Investigação de Homicídios de Senador Canedo (GIH), Mateus Gomes Mendonça Noleto, confirmou nesta terça-feira (28), em entrevista à imprensa, que policiais alteraram a cena do crime na morte do auxiliar de produção Tiago Messias Ribeiro, de 31 anos.

O homem morreu após ser baleado enquanto era feito refém, no sábado (25), em Senador Canedo. O assaltante, um rapaz menor de idade, tentou roubar o carro da empresa de Tiago. O ladrão já havia roubado o carro do pai da enteada de Tiago no dia anterior.

Segundo parentes da vítima, Tiago foi socorrido pelos policiais, levado para uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), mas não resistiu. O assaltante também foi atingido e morreu no local.

Os agentes alegaram ter trocado tiros com o criminoso. Todavia, o delegado Mateus Mendonça confirmou que de fato a cena do crime foi alterada e informou que a Polícia Civil está investigando o caso.

Apesar de repudiar a forma como os policiais agiram na ocorrência, o delegado ressaltou que as atitudes não refletem a conduta da Corporação.

Do repórter Jerônimo Junio