Sagres A Caminho da Copa

Foto: Rubens Salomão/Portal 730
giroflexrubens
A Polícia Civil, por intermédio da Delegacia de Investigação de Homicídios (DIH), apresentou 11 pessoas que foram presas na etapa final da Operação Descarrilho, que investiga a atuação de quadrilhas organizadas no tráfico de drogas na região Metropolitana de Goiânia. Outras seis pessoas, que já estavam detidas, tiveram mandado de prisão temporária expedido.

De acordo com a DIH, as cinco quadrilhas que foram desmanteladas pela Polícia Civil desde agosto eram comandadas por Stephan, mais conhecido como “BH”. Segundo as investigações, o grupo é responsável por pelo menos 84 mortes na capital somente em 2017. Durante as etapas, 79 membros do bando foram presos.

O titular da DIH, Douglas Pedrosa, conta que a Polícia Civil chegou ao grupo devido a maneira com que praticavam os crimes, sempre com muita violência.

O grupo trabalha em parceria com o Comando Vermelho, facção criminosa originária do Rio de Janeiro, mas que tem ramificações em todo o País. Vários membros da quadrilha estão presos na ala B, da Penitenciária Odenir Guimarães, em Aparecida de Goiânia.

O delegado adjunto da DIH, Hellyton Miranda, detalha o perfil do líder da quadrilha que agia na região Oeste de Goiânia, Ronny Evherty Ferreira Borges, vulgo Boca de Lata.

Doutor Hellyton conta que foram presos a mãe de Ronny, o motoboy Fabrício Noledo, que recolhia o dinheiro do tráfico de drogas, e outros membros da quadrilha que vendiam a droga.

Com o desmantelamento das quadrilhas ligadas à Ala B da Penitenciária Odenir Guimarães, o titular da DIH, Douglas Pedrosa, espera uma redução no número de crimes na Capital. Segundo ele, em 2017, 20% dos homicídios em Goiânia foram determinados por pessoas que estão presas.

Do repórter Gerliézer Paulo