Foto: Giuliane Alves/ Portal 730
pog
Uma nova rebelião atingiu o Complexo Prisional, localizado em Aparecida de Goiânia, na manhã desta sexta-feira (05). O motim aconteceu na Penitenciária Odenir Guimarães (POG). Essa é a terceira rebelião que atinge o Complexo só nesta semana. Ninguém se feriu.

Por meio de nota a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) informou que a situação no local está controlada e que um procedimento de revista começou a ser feito por volta das 7h.

A terceira rebelião da semana teve início por volta das 4h30 desta sexta-feira, quando tiros foram ouvidos na região do Complexo. Segundo a Polícia Militar, para controlar a situação, foram enviados para a POG policiais dos batalhões de Choque, Operações Especiais, Grupo de Radiopatrulha Aérea, além da cavalaria da corporação. Além disso, equipes do Corpo de Bombeiros Militar também estão a postos, acompanhando a movimentação no presídio.

Na segunda-feira (01), nove presos morreram e outros 14 ficaram feridos após uma rebelião na Colônia Agroindustrial do Regime Semiaberto, situada no Complexo. A segunda rebelião aconteceu na quinta-feira (04), também na Colônia. Dessa vez, o serviço de inteligência policial da Secretaria de Segurança Pública (SSP) monitorou a ação dos presos e a tentativa de rebelião foi rapidamente controlada. Não houve mortes nem feridos. Uma fuga foi registrada. A área em volta da unidade foi isolada por policiais.

A Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP) divulgou uma nota sobre  a terceira rebelião. Confira:

"A Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP) informa que, na madrugada desta sexta-feira (05/01), por volta das 4h30, houve princípio de rebelião na Penitenciária Odenir Guimarães (POG), no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

O Grupo de Operações Penitenciárias Especiais (Gope), com apoio da Polícia Militar, invadiu o presídio e retomou o controle do local.

Existiram focos de incêndio, já devidamente controlados. Não houve mortes.

A rápida ação das forças especiais de segurança pública, ancoradas nas informações do serviço de Inteligência, garantiu o controle da crise.

Por volta das 7h foi iniciado procedimento de revista.

A presente nota será atualizada tão logo existam novas informações.

Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP)"