Foto: Portal 730
rafaeldefensor1
O defensor público, Rafael Mourthé Starling, concedeu uma entrevista exclusiva à Rádio 730 nesta segunda-feira (08). Em pauta, a vinda da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, à Goiânia.

A ministra visita nesta segunda-feira o Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, local no qual aconteceram três rebeliões na semana passada. Ao todo, nove detentos morreram e outros 14 ficaram feridos nos confrontos entre facções criminosas rivais.

O defensor público avaliou a presença da ministra em Goiás como um fator positivo, que viabilizará uma discussão aprofundada sobre os principais problemas do sistema prisional goiano.

Ainda de acordo com Rafael Mourthé Starling, mais do que a superlotação, a falta de oportunidades de trabalho representa o maior obstáculo à reinserção dos detentos na sociedade.

Em resposta à crise penitenciária, o Governo de Goiás anunciou a entrega de dois novos presídios, um em Anápolis e outro em Formosa. Com isso, cerca de 600 vagas seriam criadas, desafogando o sistema em parte. Para Rafael Mourthé Stailing, o problema não será resolvido só com a entrega dos novos presídios.

Acompanhe a entrevista completa:

logo-sagres

Rua Monsenhor Celso, Quadra Área, Lote 2, s/n - Vila Santa, Aparecida de Goiânia - GO, 74912-590
Telefone: (62) 3216.0730

© Copyright 2006-2018 Sistema Sagres Cerrado de Comunicação