O elenco colorado segue a preparação para o compromisso do próximo sábado(26), diante do Treze, no Onésio Brasileiro Alvarenga, às 19h. Mantendo os cem por cento de aproveitamento, após ter vencido o Imperatriz – MA na última segunda-feira(21), o técnico Bolívar trabalha a equipe para enfrentar o time paraibano que também está na zona do rebaixamento, assim como o último adversário do Vila Nova.

Na tarde de hoje(23), o atacante Henan concedeu entrevista coletiva. O jogador foi autor do primeiro dos três gols marcados diante do time maranhense na última rodada e falou o que imagina para o próximo compromisso.

“A gente espera um jogo duro né, conta o Imperatriz – MA foi dessa maneira. Até sair o primeiro gol, a gente vinha buscando com o controle de jogo que tínhamos, mas sabemos a dificuldade que é, enfrentar times que se encontram nessa situação. Agora é focar no que o Bolívar vai nos passar durante a semana, vamos observar a equipe adversária, mas vamos ter um jogo difícil sim”, afirmou.

Em relação a preparação durante a semana, o atacante colorado que tem dois gols marcados na competição, pede atenção na preparação, para que não haja surpresa no próximo sábado.

“Pessoal as vezes vê o adversário na zona do rebaixamento e acha que será um jogo tranquilo e as vezes, acaba não se preparando bem. Então temos que focar no Treze, sabemos que vai ser um jogo duro, mas jogamos dentro de casa e estamos mostrando um bom desempenho aqui. Se conseguirmos manter o mesmo desempenho, acredito que o resultado pode ser positivo”, enfatizou Henan.

Um fator que chama a atenção é a pouca quantidade de oportunidades criadas para os atacantes finalizarem durante as partidas. Assunto que o centroavante colorado foi questionado durante a entrevista e concordou que apesar da melhora nesse quesito, o número de chances para os atacantes finalizarem, ainda são baixas durante os jogos.

“O time vem finalizando mais, mas apesar disso, a gente vê que os homens de frente ainda vem finalizando pouco. Eu mesmo nessa partida de segunda(21), só tive a bola do gol, em uma rebatida. A gente precisa caprichar um pouquinho mais nessa última bola, eu acho que cada jogador tem sua função e se eu pegar pra ver, os jogadores que andam mais finalizando são o Dudu e o Pablo”.

Ainda na mesma resposta, Henan comentou sobre os trabalhos feitos pela comissão técnica durante os treinos, para que mais oportunidades sejam criadas no decorrer dos jogos.

“Eu como centroavante, o Rafhael (Lucas) também, somos os jogadores que devem finalizar a última bola. A gente vem trabalhando intensamente nesse sentido de ter um pouco mais de frieza na última bola, pra que os homens de frente possam finalizar mais. Se pegar tanto eu quanto o Rafhael ou Talles, estamos finalizando muito pouco. O Bolívar tem trabalhado durante a semana e a gente vê que a evolução está acontecendo. É continuar trabalhando, pois estamos no caminho certo”, destacou.

Jogar em Goiânia tem sido um trunfo do Vila Nova, que venceu os três jogos feitos como mandante. Longe de casa o time colorado ainda não conseguiu derrotar os adversários, mas perdeu apenas um jogo e empatou outros três. Henan fala sobre a importância de fazer valer o fator “casa”, para ajudar na conquista dos objetivos do clube e melhorar o desempenho como visitante.

“Acho que é muito importante pra qualquer equipe que almeja algo mais na competição, ir bem nos jogos em casa. Quando o time consegue ter os cem por cento de aproveitamento, acaba encaminhando bem a classificação. Apesar de não termos nosso torcedor que é nossa maior força, temos feito um bom papel em casa e fora também. Acho que temos que manter o que estamos fazendo em casa e fora também, pra que possamos conseguir as vitórias dentro de casa e buscar vencer também fora”, analisou Henan.

Quando chegou para o Vila Nova, o atacante Henan foi claro na entrevista de apresentação, sobre seu condicionamento físico. Passados alguns jogos, o atacante colorado fala da sua evolução na parte física e volta a mencionar que a bola tem que chegar para os atacantes finalizarem.

“Me sinto melhor, acho que a movimentação desse jogo mostrou um pouquinho do que é meu futebol. Falo bastante com o Biancucchi que ele precisa me colocar mais no jogo, as vezes pegar a bola e me procurar. Fico incomodado quando não finalizo, sou um jogador que procuro o gol sempre. Já entro com essa responsabilidade do gol e quando a gente acaba participando pouco, incomoda. Fisicamente já me sinto bem, esse jogo mostrou minha forma de jogar, minha movimentação. Agora é só a bola começar a cair no meu pé pra que eu possa finalizar mais e com certeza fazer gols. Camisa 9 vive de gols e esperamos que a bola possa chegar e isso vai acontecer e os gols vão sair naturalmente”.

Sobre deixar o Vila Nova por uma proposta que chame a atenção, Henan tranquiliza o torcedor e revela a conversa que teve com o presidente executivo Hugo Jorge Bravo, ao assinar seu contrato com o clube.

“Acho bem difícil, quando acertei com o Hugo (Jorge Bravo), tinha dado minha palavra. Tanto que antes de chegar aqui e assinar meu contrato, surgiram algumas especulações. Seu eu quisesse ter ido pra outro clube, eu teria fechado até pra uma Série B. Só que como eu tinha conversado com o presidente, abraçado o projeto, eu decidi dar minha palavra como garantia e fico aqui até o fim da Série C. Se Deus quiser vamos conseguir o acesso e depois conversamos sobre o futuro. A torcida do Vila pode ficar tranquila que vou continuar aqui até o fim do campeonato”, finalizou Henan.