Em entrevista à Sagres, nesta terça-feira (5), a secretária de Educação de Goiás, Fátima Gavioli, afirmou que a previsão feita por ela sobre a perda de aprendizagem que, em decorrência da pandemia, seria de três a cinco anos se confirmou. “A ausência do professor presencial levou o aluno para um estado de retrocesso de aprendizagem”, disse Fátima.

A secretária explicou que há dois casos de estudantes, os que não aprenderam e os que até conseguiram aprender, mas não o suficiente e, diante disso, todos os estados devem ter registrado perda de aprendizagem. “Agora cabem às redes se unirem para tentar recuperar isso nos próximos cinco anos”.

Fátima detalhou que com dados prévios do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) observou que Goiás teve uma queda mais leve que a esperada. “Nós fizemos a avaliação ainda com os estudantes de forma remota. Essa avaliação nos permitia fazer um trabalho de formação de forma online com os professores”.

Mesmo com a queda menor, a secretária disse projetar mais dois anos para Goiás atingir o resultado que era esperado para este ano. “Goiás com certeza teria conseguido um 4,9 de resultado, porque vinha trabalhando para isso. E hoje não, nós sabemos que nosso resultado atual é 4,7, o que é quase um milagre”, declarou.

Leia mais:

Assista à entrevista na íntegra: